quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Protegendo suas Fotos e arquivos de Viagem - Parte 1/2

Nossa paixão por viagens, diferentes culturas e modos de vida já vem de longa data junto com a necessidade de expandir nossos horizontes e conhecer melhor o mundo em que vivemos.

Viajar é ganhar conhecimento, ter novas experiências e muitas vezes celebrar a conquista de um objetivo, quando a viagem por si só não é um objetivo.

Foto: Arquivo Pessoal - Space Center Houston 2014


As pessoas viajam quando solteiras, viajam quando casam, quando celebram aniversário de casamento ou namoro e alguns até viajam para celebrar seus divórcios.

Ao termino de uma viagem sempre trazemos "fora aquilo que ultrapassou a cota dos 500US$", as belas histórias, experiências, recordações e muitaaaaaass fotos.

Em nossas viagens, gostamos de sempre registrar tudo, ver as coisas por ângulos diferentes e muitas vezes até sob diferentes luzes.

Foto: Arquivo Pessoal - Casa Branca -  dia 

Foto: Arquivo Pessoal - Casa Branca - noite
Quando as fotos se referem a acontecimentos especiais, tais como o nascimento de um filho, um casamento ou mesmo a viagem dos seus sonhos elas passam a ter um valor ainda maior....e se por acaso você for fotógrafo ou simplesmente"viver de Blog" então meu amigo, as fotos serão parte do resultado do seu trabalho.

Pensando nisso resolvemos escrever este post dando algumas dicas de como proteger o seu arquivo fotográfico.

Para se proteger as fotos é necessário em primeiro lugar entender os riscos aos quais as fotos estão sujeitas, estes riscos estão presentes nos seguintes momentos: Aquisição, armazenamento inicial ou intermediário, transferência, manipulação ou edição e durante o armazenamento final ou arquivamento das fotos.

Em 2001 junto com um grupo de quatro amigos, viajei de São Paulo até "quase" em Cusco, no Peru, tomamos o lendário "trem da morte" que saía do Mato Grosso rumo a La Paz na Bolívia.

Foto emprestada do amigo fotógrafo Ale Augusto - La Paz 2001


A viagem foi excelente,  lindas paisagens, pessoas, lugares, comidas e objetos, tudo registrado em filmes de 36 poses em minha saudosa Canos EOS 300 (analógica), mas, tive alguns problemas de saúde causados pela altitude e depois de alguns dias no hospital fui obrigado a deixar o país pelo meio mais rápido, ou seja de avião, na época a melhor opção foi retornar a São Paulo com uma escala em Bogotá na Colômbia e embora fosse pedido "extremo cuidado" as autoridades aeroportuárias Bolivianas, meus filmes com mais de 300 fotos foram completamente apagados ao serem colocados diretamente nas máquinas de Raio-X.

Aquisição - o momento de "tirar ou bater" a foto
Devemos preparar tudo com muito cuidado antes de sair tirando fotos, alguns pontos importantes a serem checados são:

-Capacidade de Memória Suficiente para a quantidade de dias viajados e o número de fotos que se deseja tirar
-Baterias principais e suplementares
-Uma câmera ou celular confiáveis e preferencialmente um outro de backup

- Prazer, apresento meu dedo Indicador


Alguns erros comuns:
-Utilizar Baterias recarregáveis ao fim de sua vida útil
-Celular com pouca memória disponível
-Utilizar na câmera A a mesma memória que foi formatada na câmera B - Algumas câmeras fotográficas podem formatar seus pentes de memória com pequenas diferenças que se usadas em outras câmeras podem gerar erros na gravação das fotos, para evitar este problema evite intercambiar pentes de memória entre câmeras diferentes.

Armazenamento Inicial:
Tirada ou batida a foto, ela ficará armazenada no pente de memória da câmera ou na memória de seu telefone celular, além da perda ou queda acidental do dispositivo outro risco de se perder as fotos é a eventual "apagadinha" das fotos que você achou que não foram bem tiradas, por isso, procure não apagar nenhuma foto antes de fazer ao menos 1 cópia das fotos do seu equipamento.

Para minimizar os riscos durante o armazenamento inicial das fotos, devemos garantir que as mesmas sejam "backupeadas" o mais breve possível e durante uma viagem as formas mais comuns são: armazenamento no computador ou tablet, armazenamento em um disco externo/pen-drive ou mesmo o armazenamento em Nuvem (dropbox, google drive, Sky drive e afins).

Outra opção também é imprimir as fotos já no local ou quando existem mais viajantes guardar cópias uns dos outros.

Erros Comuns:
-Publicar as fotos no Facebook, Instagram ou enviar para outras mídias sociais - As mídias sociais geralmente reduzem o tamanho e a resolução das fotos o que automaticamente reduz sua qualidade.


Transferência:
Os erros mais comuns ocorridos durante a transferência das fotos do equipamento para um computador ou Tablet acontecem ou por distração ou por falta de experiência com o software ou sistema operacional usado para transferir as fotos, o mais comum é o apagamento "não-
intencional" das fotos, outro bem comum é por exemplo a transferência de fotos do iPhone para um computador sem o iTunes onde o usuário acaba por copiar apenas as miniaturas das fotos.

Aqui não tem jeito, para reduzir os riscos só mesmo se acostumando com o software e treinando bastante antes de copiar aquelas fotos que nem em pensamento você pode perder.


Continuação deste post disponível  aqui!


Leia também:


           Roteiro de 1 dia por Amsterdam               

     Castelos Medievais na Holanda!                                     





Procurando produtos brasileiros na Holanda? 





Não muito além de Amsterdam - Haarlem 


Um comentário:

Começaria tudo outra vez... disse...

Muito muito bom, importante e util. Parabens pelo texto e explicações!!