sábado, 19 de setembro de 2009

Como criar um filho no exterior - Parte II

Nossa,..., agora lendo o título deste post, achei um pouco presunçoso de minha parte... como criar um filho é algo que mesmo para um ótimo escritor não resumiria apenas em palavras... Para não mudar o nome do post, entenda-o como um guia prático resumido, uma coletânea de dicas, um juntado de experiências, ou chamê-o como quiser rs...

Mas vamos lá para a parte II aonde pretendo falar de higiene e cuidados com o bebê.

Quando mudamos para cá, nossa filha já estava com quatro meses de idade, já haviamos criado para ela uma certa rotina, já haviamos adquirido confiança em certos produtos do Brasil e ao chegarmos estavamos cercados de dúvidas sobre o que comprar, aonde comprar, se o produto X do Brasil era fabricado aqui e coisas do tipo. Nesta hora é claro, valeu muito a preparação que fizemos antes de vir para a Holanda, a troca de informações que minha esposa fez através de um grupo de mães Brasileiras que vivem na Holanda e é claro também o contato com alguns amigos e conhecidos que já estavam por aqui.


Quando chegamos, em Janeiro auge do inverno, nos preocupamos em proteger a bebê em primeiro lugar do frio, pois já sabiamos que a alguns dias havia nevado e as temperaturas nos dias anteriores haviam sido abaixo de zero. Embora tivessemos trazido algumas roupas de frio do Brasil as roupas de inverno do Brasil não são preparadas para o inverno Europeu, mas é claro que também não morremos de frio...

Como pode ser visto na foto, ao lado, usamos uma técnica de vestir, popularmente chamada de "cebola" que consiste em se utilizar de diversas camadas de roupas, permitindo assim isolar bem o seu corpo contra o frio. Dependendo de quão friorento você é, você pode utilizar 3, 4 ou até mais camadas de roupas, entretanto, lembre-se... aqui todos os estabelecimentos possuem aquecimento e temperatura média por volta dos 24 graus, logo prepare-se para descascar a cebola a cada entrada e saída de um estabelecimento.


Claro que após um ou dois dias aqui, você já encontrará algum roupas de inverno e é claro alguns acessórios que você jamais encontraria no Brasil, na foto abaixo veja que o bebê está protegido por uma espécie de saco de dormir que é acoplado aos cintos do carrinho, funciona muito bem e o bebê está sempre quentinho...



Alias, não esqueça de abrir o saco ao entrar em ambientes climatizados, a criança pode sofrer com o super-aquecimento.

Outro cuidado importante que você deve ter, é com relação a proteção da pele do rostinho do bebê. Graças as roupas e ao saco de dormir o corpo do bebê fica bem protegido, entretanto a face, fica exposta ao vento e as trocas de temperatura, podendo descamar, ficar intensamente vermelha ou até criar bolinhas.

Uma sugestão que nos foi dada foi a de passar no rostinho do bebê vaselina.


A vaselina cria na pele uma camada de proteção que limita a ação do vento e das trocas de calor. Alguns óleos de banho também podem ser úteis na proteção da pele do bebê, para você que estava acostumado no Brasil com a marca J&J, aqui poderá utilizar os mesmos produtos só que com a marca Natusan, infelizmente a diversidade não é tão grande quanto no Brasil, só tem o shampoo normal, sabonete liquido e sabonete, nada de condicionador, shampoo para cabelos cacheados, de camomila, é bem básico, mas cada mercado, farmacia, perfumaria tem sua linha de produtos, alguns muito bons, outros nem tanto, tem que ir experimentando... rs, a Rose comprou em uma emergência uma fralda que tinha cheiro de ervas, ela detestou, e voltou para a boa e velha pampers do pacote verde igual a que tem no Brasil e no mesmo preço.


Ainda falando de cuidados com o bebê, existem muitos outros pontos importantes e é claro que não caberiam todos aqui, apenas resumindo, aqui na Holanda existe um variedade enorme de lojas de roupas, móveis, acessórios enfim, tudo para o bebê, a Pre-Natal e a Babydump são lojas especializadas, o Ikea também possui móveis e utensilios para o quarto do bebê e a V&D, possui além de roupas também diversos acessórios.


Vamos encerrando este post por aqui, agradecendo a todos os nossos leitores e é claro aguardando seus comentários, criticas e sugestões.



Tot Ziens,



Leia também:

http://perdidos-em-eindhoven.blogspot.nl/2012/05/carcassonne-sul-da-franca.html
Carcassonne - França

http://perdidos-em-eindhoven.blogspot.nl/2012/05/carcassonne-sul-da-franca.html
Dicas para grávidas na Holanda

http://perdidos-em-eindhoven.blogspot.nl/2011/08/suica-interlaken.html
Interlaken - Suiça



2 comentários:

Anônimo disse...

gostaria de saber um pouco sobre escolas para crianças de 5 e 8 anos. Escolas internacionais ou nacionais?

Rose*Lisa*Sarah disse...

Isso é tão pessoal, complicado, depende de vários fatores, quanto tempo a pessoa vai ficar na Holanda, o que ela espera da escola, vou dizer a minha experiência, mas a minha filha ainda é pequena, escolhemos a escola holandesa, porque quero que ela se enturme com as crianças do bairro (então, escolhi uma escola no mesmo bairro que moro), quero que ela consiga se comunicar no parquinho, na rua, crianças geralmente não falam inglês, e na escola internacional aqui de Eindhoven o que vejo é as crianças passarem temporadas, ficarem por aqui, cerca de 1 ou 2 anos, além disso, quero que a minha filha encontre amiguinhos (colegas de escola) no parquinho, mercado e etc e possa chama-los para brincar em casa (sei que na escola internacional também dá para fazer isso, mas é mais distante).

Por isso escolhi a escola holandesa e estou adorando.

bjs e boa sorte na sua escolha