quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Protegendo suas Fotos e arquivos de Viagem - Parte Final


Más notícias, quanto maior a quantidade de fotos a serem armazenadas, mais cara e complexa se torna sua manutenção e armazenamento, também na medida em que as cameras avançam em resolução e precisão de cores ainda mais espaço será necessário para armazenar estas fotos.

A boa notícia é que tanto as mídias (discos internos e externos) quanto as aplicações de armazenamento on-line também estão disponibilizando mais espaço para armazenamento de fotos e arquivos, mais claro que isto não reduz a quantidade a ser administrada.

No primeiro post - Protegendo suas Fotos e arquivos de Viagem - Parte 1/2, fizemos uma verdadeira análise de riscos, ressaltando cada uma das etapas do processo de aquisição da foto até sua transferência para outro dispositivo.

Neste post vamos falar sobre os riscos relacionados a manipulação/edição das fotos e os riscos relacionados ao armazenamento final das fotos, claro que além de exemplificar os possíveis riscos também vamos apresentar soluções para minimiza-los bem como algumas dicas úteis.

Manipulação ou Edição das Fotos:

Uma vez armazenadas em um espaço intermediário ou até mesmo em seu destino final, pode existir em algum momento a necessidade de modificar estas fotos através de softwares de edição de imagem (Paint, Photoshop, GIMP), o objetivo da edição pode ser o redimensionamento da imagem para um fim específico, aplicação de filtros ou mesmo a remoção de elementos ou corte.

Foto original
Recorte extraído da foto original



O grande risco relacionado a edição das fotos está relacionado a manipulação direta das fotos originais, que sem o cuidado necessário ou mesmo devido a um acidente podem ser modificadas e não mais recuperadas.

Erros Comuns:
- Salvar a edição antes de finalizada diretamente no arquivo original da foto
- Deleção acidental da foto original
- Conclusão da edição com salvamento direto no arquivo original da foto (você não consegue aplicar nenhuma outra alteração nas fotos originais ficando restrito à foto editada).

Em relação ao processo de edição a ação para minimizar a perda ou modificação acidental das fotos é bem simples, basta fazer uma ou mais cópias do arquivo original e renome-a-los de modo que você os identifique como cópias do arquivo original, deste modo você realiza todas as alterações necessárias em uma ou mais cópias e preserva o arquivo da foto original.

Armazenamento final ou arquivamento:

"A mágica por trás de toda e qualquer foto seja ela digital ou impressa está em nos transportar no tempo mesmo que por uma fração de segundo", e é através deste mecanismo que reavivamos nossas lembranças, comparamos fatos ou simplesmente observamos como nossos filhos ou netos cresceram.

No futuro as fotos ajudarão a contar nossa história, mas como armazena-las de forma segura de modo que elas não sejam destruídas ou modificadas?

Entra em cena o plano de armazenamento de dados... soa um pouco técnico demais ou talvez caro demais, mas a coisa é simples!

FreeDigitalPhotos.net
Antes de qualquer coisa, é preciso saber qual o espaço que seus arquivos de fotos, videos ou até todos os seus arquivo ocupam, a segunda coisa importante é saber o quanto mais de espaço será necessário para manter seu arquivo por mais 2, 3 ou 5 anos, para ajudar nesta conta, calcule a média de espaço consumido em 1 ou 2 anos e multiplique este valor por 2, 3 ou por 5 adicionando mais 30% de margem (Não encontrei nenhuma regra específica ou literatura para este cálculo, logo a melhor opção é sempre utilizar o bom senso).

Se por exemplo você armazenou em 1 ano uma média de 100GB (Gigabytes) em arquivos de imagem ou video e pretende ter espaço suficiente para os próximos 3 anos, o cálculo deve ser o seguinte:

("Média de Espaço consumido" X 3 Anos ) + 30% (Margem de segurança
                           (100 X 3) + 30% = 390GB

Está informação é fundamental seja para adquirir um plano de armazenamento de dados em nuvem, (google drive, sky drive, icloud, dropbox, flickr, fotix), seja para armazenar no seu disco externo, NAS ou mesmo no computador de casa.

FreeDigitalPhotos.net

O como você irá armazenar estes arquivos depende muito dos seus objetivos pessoais e da importância das fotos, videos, etc para você.

E é claro saber a forma como você planeja acessar estes arquivos no futuro também ajuda na criação do seu plano.

Lembrando o primeiro princípio da preservação de dados, "- Quem têm apenas 1 Backup não tem nenhum!"

É duro dizer isso, mas já presenciei não apenas 1 ou 2 ou 3, mas pelo menos uns 20 casos de amigos, colegas, familiares que perderam fotos, videos e arquivos importantes, e muitos deles até tinham backup, o problema é que eles nunca haviam testado seus backups afim de certificar se eles ainda funcionavam!

FreeDigitalPhotos.net


Solução: Tenha ao menos 2 locais diferentes de Backup e teste-os com regularidade.

Plano mínimo de armazenamento de dados:
-1 Disco para armazenamento externo (com o espaço "minimo" calculado conforme a formula acima)
-1 Disco adicional com as mesmas especificações para armazenamento de um segundo backup ou ainda, Backups em CD's ou DVD's ou armazenamento em Nuvem.

Importante:

 1 - A vida útil de 1 CD ou DVD gravado (em casa) está entre 2 e cinco anos (após este período eles podem apresentar problemas de leitura.

2 - Embora muitas empresas ofereçam serviços de armazenamento de dados na nuvem fique atento pois existem vários casos de perdas de dados de clientes (Fonte: Business Insider e Symantec em Inglês), recentemente (2014) 5 milhões de senhas do Gmail foram vazadas na Internet, leia aqui (Fonte: Uol)

3 - Muita atenção com os dados armazenados em casa, eles não estarão salvos em caso de roubo, alagamento ou incêndio.

Como diz o velho ditado, nunca deixe todos os ovos no mesmo cesto!  É preciso diversificar de forma inteligente de uma maneira que você tenha tudo sob controle e seus dados possam ser facilmente encontrados.

FreeDigitalPhotos.net


Eu faço uso de discos externos, DVD's, Dropbox e Google drive... a minha receitinha é mais ou menos esta:

- DVD's - Backup "secundário" das fotos que se perdidas podem culminar em um divórcio :-) - Casamento, nascimentos, Lua de Mel e afins.

- Discos externos - Backup primário e secundário de todas as fotos

- Dropbox e Google Drive - Backup Secundário das fotos de viagens e de outras fotos importantes.


Perdi tudo e não tinha backup, e agora?

Muita calma, se você ainda tem o disco em seu computador pode ser que seja possível restaurar até 70% dos arquivos perdidos, existem empresas e profissionais capazes de restaurar dados perdidos, é um serviço bastante caro mas que geralmente dá algum resultado.

É muito  IMPORTANTE levar o disco danificado a estes profissionais assim que o problema houver ocorrido, pois quanto mais  você utilizar o disco ou tentar aventurar-se na recuperação dos dados, menores serão as chances de recupera-los.




Concluindo

A conveniência que as novas tecnologias nos trazem muitas vezes escondem ou criam uma falsa sensação de segurança em relação ao conteúdo (fotos, videos, etc) que vamos acumulando ao longo do tempo.

Planeje-se, antes, durante e depois de uma viagem, se for ficar longe por mais de um dia abuse dos backups em Nuvem e esvazie a memória do seu celular ou câmera diariamente afinal "Foto não batida é uma foto perdida".

Ao manipular imagens sempre trabalhe com cópias e não os arquivos originais.

Em casa evite deixar todas as suas fotos e documentos importantes em um único computador, diversifique, monitore o espaço disponível em seus discos e sempre reveja seu plano de armazenamento.


Leia também:


           Roteiro de 1 dia por Amsterdam               

           Roteiro de 1 dia por Bruges               



     Castelos Medievais na Holanda!                                     





Não muito além de Amsterdam - Haarlem 



sábado, 13 de setembro de 2014

18 de Setembro - Dia da Libertação de Eindhoven

Desfile das tropas aliadas pelo centro de Eindhoven 18 Setembro 1944 - Dominio Público




Embora a Holanda só tenha conseguido a libertação completa das forças Alemãs em 5 de maio de 1945, a cidade de Eindhoven foi libertada pelas tropas aliadas no dia 18 de Setembro de 1944, através da operação chamada "Market Garden".







De bevrijding van Eindhoven
População recebendo as tropas aliadas em Eindhoven - Fonte: Geschiedenis24.nl
Muitas cidades da Europa foram completamente dizimadas durante a segunda guerra e Eindhoven também sofreu com um bombardeio a cidade e à fábrica de rádios da Philips em 1942 que culminou com a morte de 140 pessoas.

eindhoven-lichttoren
Torre da Philips após bombardeio - Fonte:herdenking.nl

eindhoven-philips
Torre da Philips após bombardeio - Fonte:herdenking.nl

Eindhoven celebra e relembra sua libertação todos os anos através de eventos como o Lichtjesroute (anual) e os desfiles (a cada 5 anos).

Abaixo algumas fotos do desfile que participamos em Eindhoven em 2009, o desfile não só conta com alguns dos jeeps, caminhões e tanques que foram utilizados durante a segunda guerra, mas também traz muitos dos combatentes ainda vivos vindos da Holanda, Inglaterra e Estados Unidos.


Centro de Eindhoven tomado por veículos que foram usados pelas tropas aliadas durante a 2a guerra



Motoristas e passageiros vestindo uniformes da época.




Nossas garotas mudam um pouco... estão ainda mais bonitas :-)

Uma homenagem aos veteranos que batalharam durante a 2a guerra


Uma homenagem a Cruz Vermelha

Saíba mais sobre a libertação de Eindhoven e a Operação Market Garden, assista o filme "A Bridge too far" com Sean Connery.


Leia também:


 Roteiro de 1 dia por Amsterdam                      













Dierenrijk - Safari à 15min de Eindhoven




 
http://perdidos-em-eindhoven.blogspot.nl/2012/05/carcassonne-sul-da-franca.html
Cidade Medieval de Carcassonne - França 















        Perdidos em Estocolmo  - Suécia        









               
De Eindhoven para o mundo                           







quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Protegendo suas Fotos e arquivos de Viagem - Parte 1/2

Nossa paixão por viagens, diferentes culturas e modos de vida já vem de longa data junto com a necessidade de expandir nossos horizontes e conhecer melhor o mundo em que vivemos.

Viajar é ganhar conhecimento, ter novas experiências e muitas vezes celebrar a conquista de um objetivo, quando a viagem por si só não é um objetivo.

Foto: Arquivo Pessoal - Space Center Houston 2014


As pessoas viajam quando solteiras, viajam quando casam, quando celebram aniversário de casamento ou namoro e alguns até viajam para celebrar seus divórcios.

Ao termino de uma viagem sempre trazemos "fora aquilo que ultrapassou a cota dos 500US$", as belas histórias, experiências, recordações e muitaaaaaass fotos.

Em nossas viagens, gostamos de sempre registrar tudo, ver as coisas por ângulos diferentes e muitas vezes até sob diferentes luzes.

Foto: Arquivo Pessoal - Casa Branca -  dia 

Foto: Arquivo Pessoal - Casa Branca - noite
Quando as fotos se referem a acontecimentos especiais, tais como o nascimento de um filho, um casamento ou mesmo a viagem dos seus sonhos elas passam a ter um valor ainda maior....e se por acaso você for fotógrafo ou simplesmente"viver de Blog" então meu amigo, as fotos serão parte do resultado do seu trabalho.

Pensando nisso resolvemos escrever este post dando algumas dicas de como proteger o seu arquivo fotográfico.

Para se proteger as fotos é necessário em primeiro lugar entender os riscos aos quais as fotos estão sujeitas, estes riscos estão presentes nos seguintes momentos: Aquisição, armazenamento inicial ou intermediário, transferência, manipulação ou edição e durante o armazenamento final ou arquivamento das fotos.

Em 2001 junto com um grupo de quatro amigos, viajei de São Paulo até "quase" em Cusco, no Peru, tomamos o lendário "trem da morte" que saía do Mato Grosso rumo a La Paz na Bolívia.

Foto emprestada do amigo fotógrafo Ale Augusto - La Paz 2001


A viagem foi excelente,  lindas paisagens, pessoas, lugares, comidas e objetos, tudo registrado em filmes de 36 poses em minha saudosa Canos EOS 300 (analógica), mas, tive alguns problemas de saúde causados pela altitude e depois de alguns dias no hospital fui obrigado a deixar o país pelo meio mais rápido, ou seja de avião, na época a melhor opção foi retornar a São Paulo com uma escala em Bogotá na Colômbia e embora fosse pedido "extremo cuidado" as autoridades aeroportuárias Bolivianas, meus filmes com mais de 300 fotos foram completamente apagados ao serem colocados diretamente nas máquinas de Raio-X.

Aquisição - o momento de "tirar ou bater" a foto
Devemos preparar tudo com muito cuidado antes de sair tirando fotos, alguns pontos importantes a serem checados são:

-Capacidade de Memória Suficiente para a quantidade de dias viajados e o número de fotos que se deseja tirar
-Baterias principais e suplementares
-Uma câmera ou celular confiáveis e preferencialmente um outro de backup

- Prazer, apresento meu dedo Indicador


Alguns erros comuns:
-Utilizar Baterias recarregáveis ao fim de sua vida útil
-Celular com pouca memória disponível
-Utilizar na câmera A a mesma memória que foi formatada na câmera B - Algumas câmeras fotográficas podem formatar seus pentes de memória com pequenas diferenças que se usadas em outras câmeras podem gerar erros na gravação das fotos, para evitar este problema evite intercambiar pentes de memória entre câmeras diferentes.

Armazenamento Inicial:
Tirada ou batida a foto, ela ficará armazenada no pente de memória da câmera ou na memória de seu telefone celular, além da perda ou queda acidental do dispositivo outro risco de se perder as fotos é a eventual "apagadinha" das fotos que você achou que não foram bem tiradas, por isso, procure não apagar nenhuma foto antes de fazer ao menos 1 cópia das fotos do seu equipamento.

Para minimizar os riscos durante o armazenamento inicial das fotos, devemos garantir que as mesmas sejam "backupeadas" o mais breve possível e durante uma viagem as formas mais comuns são: armazenamento no computador ou tablet, armazenamento em um disco externo/pen-drive ou mesmo o armazenamento em Nuvem (dropbox, google drive, Sky drive e afins).

Outra opção também é imprimir as fotos já no local ou quando existem mais viajantes guardar cópias uns dos outros.

Erros Comuns:
-Publicar as fotos no Facebook, Instagram ou enviar para outras mídias sociais - As mídias sociais geralmente reduzem o tamanho e a resolução das fotos o que automaticamente reduz sua qualidade.


Transferência:
Os erros mais comuns ocorridos durante a transferência das fotos do equipamento para um computador ou Tablet acontecem ou por distração ou por falta de experiência com o software ou sistema operacional usado para transferir as fotos, o mais comum é o apagamento "não-
intencional" das fotos, outro bem comum é por exemplo a transferência de fotos do iPhone para um computador sem o iTunes onde o usuário acaba por copiar apenas as miniaturas das fotos.

Aqui não tem jeito, para reduzir os riscos só mesmo se acostumando com o software e treinando bastante antes de copiar aquelas fotos que nem em pensamento você pode perder.


Continuação deste post disponível  aqui!


Leia também:


           Roteiro de 1 dia por Amsterdam               

     Castelos Medievais na Holanda!                                     





Procurando produtos brasileiros na Holanda? 





Não muito além de Amsterdam - Haarlem