domingo, 23 de agosto de 2009

Como criar um filho no exterior.

Passada toda a correria da mudança, papéis e mais papéis, busca por casas, carteira de motorista e todas aquelas outras coisas que são extremamente necessárias para nossa vida em um novo país, naturalmente começamos a nos envolver com a nova cultura, seja através da TV, dos jornais, através das pessoas que puxam papo em qualquer ponto de ônibus enfim, é inevitável se deparar com costumes bem diferentes daqueles aos quais fomos criados. As crenças, os valores, as opiniões, a moda, a língua, tudo é novo e requer de nós uma adaptação.

Se para nós é difícil, como será então para as crianças ?

Essa é uma pergunta que me fazia mesmo antes de nos mudarmos para a Holanda, a preocupação sobre como seria criar minha filha em um ambiente onde eu mesmo não me sentia seguro, uma língua estranha, um clima estranho, um padrão alimentar diferente do Brasileiro, enfim em algo novo aonde nem eu mesmo sabia em detalhes o que iria vivenciar.

Para facilitar o entendimento dos leitores vou dividir a explicação por assuntos, porém antes de começar a explicar, é muito importante se ter uma coisa em mente.

Não tente mudar as coisas ou esperar do seu novo país que as coisas sejam como eram no seu país de origem, essa dica vai desde sua busca pelo leite ninho até a maneira de como funcionam os Huisarts (médico da família), enfim, não espere que o médico vá atender ao seu filho exatamente como era Brasil. A regra geral para que você não se torne infeliz com tudo ao seu redor, é EVITE COMPARAR, mas é claro corra também atrás daquilo que você tem direito
 ;-).

Alimentação:
Logo que chegamos na Holanda, nos preocupamos muito em encontrar carne e legumes para as refeições de minha filha, no Brasil, ela já começara, com a indicação do pediatra a almoçar ou jantar, gradualmente alguns legumes e frutas e é claro, estávamos preocupados em encontrar uma boa variedade de legumes e frutas para continuar alimentado-a, da melhor maneira possível. A principio como mencionei acima, tentamos encontrar legumes e verduras tipicamente brasileiros, embora haja uma grande variedade de legumes e frutas na Holanda, não espere encontrar na feira ou no mercado frutas como sirigüela, umbu, ou mesmo uma jaca... e nem tampouco, nhame, quiabo ou mandioquinha.. (Hummmm bateu uma vontade agora... falar de comida é fogo rs...)Embora eu pessoalmente não tenha visto os legumes e frutas mencionados acima, eu não dúvido que ainda seja possível encontra-los... Talvez com outro nome ou em uma outra váriedade, entretanto, aqui também se acha muitos legumes, frutas em excelente qualidade, muitas vezes diria eu superiores as encontradas no Brasil.

NOTA:Leia nosso post sobre Produtos Brasileiros na Holanda

Apenas para ilustrar, aqui se encontra: Batata, tomate, vagem, cenoura, pimentão, pepino, cebola, milho verde (doce), laranja, banana, manga, abacate, pêra, abacaxi, mamão, melão, morango (muiiiito bom), uvas sem caroço, figo, enfim, dá pra alimentar o pequeno muito bem...

Com relação as carnes, também se encontra carnes de boi, porco, carneiro, peixe, entre outras...

Outro ponto bastante positivo e que torna a vida dos pais mais simples e a dos pequenos mais cheia de experiências é que por aqui, muitas frutas por exemplo são vendidas já limpas e em pedaços a um ótimo preço.

Com relação as papinhas industrializadas também se encontra uma variedade, acredito eu, bem superior a do Brasil, diversas combinações de legumes, carnes e frutas. E o gostinho, pasmem... :-) é o mesmo para todas :-)

Esse post já ficou um pouquinho longo... continuamos com este assunto no próximo post.
Abraço a todos.

Leia também:
Eindhoven roteiro/guia "quase" completo
Como criar um filho no exterior segunda parte
Compras via internet na Holanda
Castelos Medievais na Holanda

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Compras...


Foto antiga, de quando chegamos...

Como muitos sabem meu inglês é muito ruim, e meu holandês é nulo... RS... mas, estou conseguindo me virar bem nesses 8 meses, apesar de alguns pesares... RS...


Eu fico toda feliz de nunca ter precisado de ajudar para ir em um mercado, mas outro dia fiquei chateada lendo um blog onde disseram que é fácil ir no mercado, e comecei a pensar, poxa é fácil mesmo, as prateleiras são sempre iguais, os produtos seguem um padrão de lugar, mas ai vem os detalhes né... é realmente fácil quando se está de férias e só vai comprar coca-cola, bolachas, salgadinhos e etc.. esses produtos são de fácil identificação... mas, e quando se vai ao mercado na Holanda mais especificamente ao Albert Heijn (www.ah.nl), onde tudo é escrito em holandês, você até identifica a manteiga, mas qual é com sal e sem sal??? E quando um queijo vem numerado??? O que será que pode ser +48, RS... e como achar álcool??? Se a embalagem é azul escuro e na verdade o nome aqui é Spiritus...


Mas, vamos lá primeira ida ao mercado, não vamos pegar nada estranho, carne moída ta bom né... fácil identificação e não poderia ser mais fácil o nome é Varkens... RS... chego em casa toda feliz e vou fazer a carne moída primeiro o tempero que comprei de kip (comprei pq sei que é frango) tinha muita pimenta, mas até ai tudo bem, nada que muita água e coca cola não ajudem na digestão... mas, outra surpresa... começo a fazer a carne moída e sobe aquele cheiro estranho pela casa inteira, pego a embalagem do lixo e está na validade, corro para o Google, companheiro de todas as horas... e meu ledo engano... Varkens é carne de porco, no caso carne de porco moída, quem já tinha ouvido falar nisso??? Eu não com certeza... foi tudo para o lixo e lá vamos nos na batata... rs... batata é batata em todo lugar né... RS... outro engano, aqui vende em pacotes separados por cor... vc não pode comprar um kilo de batata, vc compra o saco pequeno ou grande, nada de escolher, comprei o saco azul primeiro, mas demora para cozinhar e é horrível de descascar, mas vem lavadinha, bem bonitinha... RS... o saco verde ( a minha preferida agora), vem suja (nada que água não resolva), mas além de cozinhar mais rápido, a casca sai muito fácil...


Agora shampoo (e todos os produtos de higiene pessoal), quando acaba o que vc trouxe do Brasil e vc tem cabelo oleoso... e ai??? Só testando... RS...


Além de mercado outra dificuldade é comprar roupa, a numeração é diferente do Brasil principalmente infantil... tanto é que a Lisa usa número 80 ou 86, os números infantis iniciam no 50 (se eu não estou enganada), vão de 6 em 6, a Lisa quando chegamos aqui usava o numero 68 ou 74, no inicio parece estranho, mas depois que se descobre que é pelos centímetros da criança fica muito mais fácil né, pena que como no Brasil, mesmo sendo por centímetros tem diferenças de uma marca para outra, então o que vale mesmo é o “olhometro” da mamy aqui...


Mas, já me viro bem... RS... não só em mercado, consegui ir sozinha na prefeitura buscar o documento da Lisa e a minha carteira de motorista (é tomem cuidado eu tenho carta...rs), ta certo que eu falo metade em inglês, parte em holandês, uma grande parcela em português e as vezes sai até um pouco de espanhol... rs... sem falar no “gesticules” idioma universal que todo mundo entende... RS


Palavras muito importantes que aprendi assim que cheguei aqui... graças a Keila que infelizmente mudou para os EUA...

Kassa – caixa
Korting – desconto
Gratis – grátis
Kassa korting – desconto pelo pagamento a vista direto no caixa...

Ah, desconto aqui é desconto mesmo, se na etiqueta está 10 euros, mas tem outra etiqueta informando kassa korting de 80%, quando chegar no caixa vc só vai pagar 2 euros...

Eu comprei uma bota por 5 euros numa dessas promoções...

Morando na Holanda agente muda o conceito sobre importado, num lapso de lucidez descobri que tudo que trouxe do Brasil agora é importado... “sou xique benhê” ... RS... tem vários produtos do Brasil aqui em casa...


Continuo depois, já ficou longo demais... RS...


Leia também:
De Eindhoven para o mundo
Compras via internet na Holanda
Castelos Medievais na Holanda